Homem estrangula a irmã e diz se orgulhar do que fez. Quando revela o motivo, o mundo se revolta


.

Quandeel Baloch, de 26 anos, protagonizou uma cena explícita de extremismo religioso e machismo no último dia 15.

Admirada por muitos por ir na contramão das tradições extremistas e criticada por outros ao ser chamada de exibicionista, ela acabou sendo vítima de um assassinato a sangue frio que não está sendo considerado um crime por muitas pessoas.

Muhammad Wasim, dopou e estrangulou a irmã em prol de "limpar a honra da família". O crime aconteceu na casa de Quandeel no vilarejo de Muzzafarabad para comemorar o feriado Eid al-Adha, que faz referência ao momento em que o profeta Abraão obedece o pedido de Alá e quase sacrifica seu filho Isaac- ou Ismail na cultura muçulmana. “Meus amigos costumavam enviar vídeos e fotos no meu celular e todos no mercado móvel compartilhavam vídeos e fotos dela comigo. Assassiná-la era melhor do que cometer suicídio, então eu segui meu plano anterior", afirmou Mugammad em entrevista. "Mulheres nascem para ficar em casa e trazer honra para a família ao seguir as tradições, mas Qandeel nunca fez isso”, completa.


O nome verdadeiro de Quandeel era Fauzia Azeem. Nascida em um bairro pobre na cidade de Punjab, ela foi obrigada a se casar aos 17 anos com um homem que a submeteu aos maus tratos durante cerca de 2 anos. Revoltada por ser tratada "como um animal", a então Fauzia saiu de casa e decidiu estudar. Aos 19 anos se abrigou em um refúgio para mulheres e deixou a própria família para trás, buscando se realizar pessoalmente.

Depois de algum tempo ela se tornou Quandeel, famosa no Facebook, Twitter e Instagram. Com milhares de seguidores nas redes, ela começou a disseminar ideias de empoderamento feminino e falar de sexo abertamente, dividindo opiniões sobre ser uma inovação ou uma exibicionista. A mídia tradicional que inicialmente se fechou para ela, estava abrindo um pequeno espaço nos últimos tempos, mas seu trabalho foi interrompido por esse crime revoltante cometido por seu irmão. No dia de sua morte ela mostrava estar empenhada em conseguir seus objetivos cada dia mais. “#Qandeel #Baloch é uma inspiração para aquelas mulheres que são mal tratadas e dominadas pela sociedade. Eu continuarei vencendo e sei que vocês continuarão odiando”.

Ela é um reflexo de milhares de casos pelo mundo de mulheres que são mortas, torturadas e fortemente "caçadas" por extremistas, machistas e tantos outros tipos de conceitos colocados sobre o estereótipo feminino. Infelizmente ainda existem mulheres que precisam se esconder de suas reais identidades e desejos, em prol de agradar uma sociedade que não se importa com a felicidade e realização de ninguém.


Avalie este Artigo?

Mais pra voce!