Família busca por justiça após bebê de um ano ser espancado pela babá nos EUA


 

Um casal do Estado de Oregon, nos Estados Unidos, está lutando por justiça após seu filho Jacob, de um ano, ser agredido por uma babá. Joshua Marbury, pai do bebê, fez um apelo em seu Facebook pedindo para que "algo seja feito", já que a legislação local impede que a suspeita seja incriminada sem que a vítima relate o crime. A história ganhou forte repercussão na internet.

Segundo o pai, ele a mulher deixaram Jacob sob os cuidados da babá por uma noite, há cerca de dois meses. Quando chegaram em casa, o bebê estava chorando, enquanto a mulher dormia no sofá.

No dia seguinte, segundo informações do jornal "The Oregonian", as suspeitas de que algo de errado havia acontecido se confirmaram, quando a criança acordou cheia de hematomas no rosto. "A primeira coisa que eu vi foi o olho roxo e pensei que ele pudesse ter se sujado com hidrocor", disse Alicia Quinney, mãe de Jacob. "Mas ele se virou e o lado do rosto estava todo roxo".

 


Havia ainda marcas na orelha, braços e costas do bebê. Os médicos notaram que as marcas tinham formato de mão, e um investigador disse que aquela agressão poderia ter matado Jacob.

 

Havia ainda marcas na orelha, braços e costas do bebê. Os médicos notaram que as

"Algo precisa ser feito", escreveu Marbury. "Ninguém pode bater em uma criança e simplesmente sair impune porque a criança não tem como verbalizar isso", declarou, referindo-se a uma lei do Oregon, de 2012, que torna mais difícil acusar alguém de agressão se a vítima não pode falar.

A família, então, iniciou uma campanha nas redes sociais para que o caso ganhe visibilidade e esperam que a lei seja revista. Após o post, o Procurador do Estado do Oregon, Dustin Staten soube da história e entrou em contato com a família e pode reavaliar a legislação. "Ver essas fotos me fez querer mudar de direção", disse Staten ao The Oregonian.


Avalie este Artigo?

Mais pra voce!