Dieta do Arroz com Feijão: Emagreça comendo o básico


O arroz e o feijão podem ser ótimos aliados do emagrecimento. Apesar de serem os primeiros alimentos cortados das dietas, arroz e feijão são duas armas poderosas para quem quer emagrecer. Uma das combinações mais saudáveis da culinária brasileira, a dupla mantém o estômago cheio por bastante tempo, retardando a fome.

Arroz, feijão, bife e salada. Presente na mesa de milhões e milhões de brasileiros, essa combinação, segundo os especialistas, está, sim, entre as mais saudáveis da sua mesa. Agora, se ela não está presente, saiba que deveria, pois além de muito nutritiva, ajuda na manutenção e perda de peso. “Se a população brasileira comesse arroz, feijão, carne e salada, certamente não haveria um crescimento tão grande da obesidade”, afirma o médico endocrinologista Alfredo Halpern, presidente da Abeso (Associação para o Estudo da Obesidade), do Hospital das Clínicas (SP). Pensando em como combinar essa duplinha com outros acompanhamentos e, ainda, auxiliá-la a acelerar o metabolismo e mandar embora até 3 kg em 7 dias, a nutricionista Catarina Stocco, especialista em Nutrição Clínica, Esportiva e Funcional, de Curitiba (PR), elaborou um cardápio com cerca de 1.000 calorias, que inclui cinco refeições diárias, e tem a combinação como prato principal todos os dias. “Embora o arroz branco comum tenha alto índice glicêmico, ou seja, ele vai para a corrente sangüínea mais rapidamente, o feijão, por sua vez, é uma proteína de origem vegetal, que junto ao primeiro ingrediente, sacia a fome por mais tempo, fazendo com que a pessoa coma menos”, afirma Catarina.

Refeição completa

A nutricionista lembra que esses alimentos são ricos em cálcio e fibras. “Se incluirmos a proteína da carne e as fibras dos vegetais e frutas como sobremesa, teremos então, uma refeição completa, saudável e que auxilia no combate à obesidade”, orienta Catarina. “Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não são os dois juntos que engordam, mas, sim, a quantidade deles no prato. Com moderação, eles são fundamentais”, garante. “Sem contar que são as outras tantas besteiras que colocamos entre as refeições ou mesmo no cardápio que levam ao aumento de peso, e não o arroz e feijão de cada dia”, certifica.

Fazer várias refeições ao longo do dia mantém o metabolismo ativo e acelera o gasto calórico

Catarina também deu prioridade aos alimentos integrais, além de verduras, legumes, frutas, carnes e queijos magros, ingredientes altamente nutritivos que, segundo ela, auxiliam no funcionamento do organismo. “Esses itens nutrem e aumentam a saciedade, mesmo sendo um menu com menos de 1.200 calorias diárias”, assegura. “Ainda assim, este regime não deve ser seguido por mais de 7 dias, pois, se em uma semana ele acelera a perda de peso, permanecendo por mais tempo, ocorre o efeito rebote: o organismo se acostuma com a baixa ingestão calórica, guarda, no caso a gordura, e pode levar ao aumento de peso novamente”, indica. “Por isso, após esse período, aumente as porções de proteína magra”, ensina.

Sendo assim, arroz e feijão, quando bem balanceados estão liberados na alimentação até para quem deseja a perda de peso. Segue um exemplo de refeições criadas pela nutricionista Catarina Stocco:

Café da Manhã

? 1 xícara de chá verde batido com 1 rodela de abacaxi e 1 ramo de agrião

? 1 banana com 2 col. (sopa) de aveia em flocos

Lanche da manhã

? 1 castanha-do-pará

? 1 xícara de chá verde com 1 rodela de gengibre


Almoço

? 1 prato de salada de rúcula, 1 pepino e 1 tomate em rodelas

? 3 col. ( sopa) de arroz com vagem picado

? 1/2 concha de feijão

? 3 col. (sopa) de carne moída refogada

? 1 kiwi

Lanche da tarde

? 200 ml de leite de soja

Jantar

? 1 omelete batido com 2 ovos, rodelas de cebola, 1 tomate picado, 1 fatia de peito de peru picado com orégano a gosto e cheiro-verde

? 1 prato de (sobrem.) de brócolis com couve-flor cozidos

? 1 pêra

Fonte: Uol


Avalie este Artigo?


Mais pra voce!